09 outubro, 2015

Nem tudo está estragado

Eu sei que você quer muito algo e eu sei que parece impossível e espero não soar tão cruel, mas realmente é. Pelo menos continuará sendo impossível até você mudar isso. A vida é a sua vida, se não dá para viver o que você quer que pelo menos você viva o que você tem. Meu pai costuma dizer que poderia ser melhor, mas também poderia ser bem, eu disse, bem pior.

O fim de semana é uma segunda-feira, falta aquela odisseia em seus dias, não sobra tempo e nem dinheiro e ainda assim você acredita que é só por isso que evita as multidões. Seus segredos estão acumulados no Netflix, você sobrevive a todas as séries, mas prefere morrer do que tentar se animar para a próxima decepção. Pois é, a gente cansa de quebrar a cara, a gente tenta exorcizar nossos sonhos e se acomoda em qualquer lugar que não tenha alguém para  nos dar spoilers sobre nosso futuro ou para pedir a nossa comida. A gente se acostuma a viver o mês por trinta dias.

Você reclama da ressaca que nem aconteceu, você se desculpa pelo que gosta e tenta passar de fase pelo seu bom coração. Bondade nem sempre é solução, às vezes você precisa ser o cara mau para ter um pouco de atenção. Eu nem sei ao certo como isso funciona, mas acho que todo coração tem sua cota de remendos, só que nesse momento é melhor a gente dar pouca importância para o currículo das nossas feridas.

Te anima nem que seja para ligar o foda-se do dia.

E só não te esqueça de agradecer por você continuar em pé nas trincheiras da rotina.

3 comentários :

Giselle F. disse...

Que coisa maravilhosa de se ler nessa manhã de sábado chuvoso. :) Faço destas palavras oração e mantra diário.

"Te anima nem que seja para ligar o foda-se do dia." ♥

nathaliafuentes disse...

Nossa, tenho me sentido exatamente assim. Com a única diferença que mesmo me escondendo na minha cama com a cara no NetFlix em certos dias, ainda me levanto e vou pra rua, em tentativas de me divertir. Mas não adianta, me sinto sozinha na multidão. Não sei o que me falta, não sei se, de fato, fechei meu coração temendo a próxima decepção. E digo "próxima" não com um tom pessimista e sim, sabendo que a vida estará sempre permeada delas, afinal, assim crescemos.
Temo que quando mais racionalizo essas questões, menos me aproximo de respostas.
Gostei do blog! Parabéns :)

Marisa Pompermaier disse...

Muito bom de ler seus textos. Tão exatos e tão inexplicáveis.E em algum desses dias, eu também" Sinto Muito". Parabéns!