11 novembro, 2012

Sem capa

Sempre optei pelos quase heróis, aqueles que não se importam por se importarem demais. Prefiro-os a quem tenta salvar o mundo todo dia, porém não é capaz de roubar uma flor no caminho para casa e entregar para nós. Esses são o tipo de cara que nunca fazem nada ser o suficiente. Preferem a companhia da TV e o controle remoto em mãos do que a gente de calcinha descabelada sentadas no sofá rindo de coisa nenhuma. O telefone toca e eles prontamente entendem os amigos, mas deixam para responder nossas mensagens depois. Heróis somente até tirarem a capa e nos levarem pra cama, depois a mascará é conseqüência da rotina que escolhemos sem querer.

Por tudo isso, eu prefiro os que eram os últimos a serem escolhidos no futebol, aqueles que se conformam com as filas e não se incomodam se nunca estreiam seu ego. Homens que não são maus, mas não faz diferença se fazem o bem, já que para eles ninguém - até então- liga.


Mas, são esses fracassados em testosterona que são capazes de amar, e quando amam é de verdade. Eles perdem tempo com sexo sem afeto, no entanto quando querem amor sabem exatamente como conseguir isso da gente, mulheres que não desejam ser salvas, e sim salvá-los deles mesmos e de todos aqueles problemas que a insônia culpa, da barba mal feita em plena quarta-feira e do conhaque no café.

Eles gostam de gibis, de Tarantino, de Sinatra e ainda conseguem ser mais sensíveis que Nicholas Sparks, e são muito capazes de deixar a boemia e as maratonas de vídeo game se prometermos alguns instantes de sorrisos especialmente para eles no fim do dia.

Eles terão dificuldade em demonstrar que nos querem, mas sempre deixarão claro que somos importantes. Vão nos dar motivos para que possamos nos sentir gratas por estarmos nessa vida, farão piadas sem graças e gestos inesperados, não negociaram nossa felicidade e nem justificarão o passado.

Por isso, não se anime com os valentões, com os corajosos e com quem te diz que te fará voar. Esses são os babacas que sempre colocarão você de lado, os motivos de suas lágrimas em alguma festa, das suas olheiras de manhã, da sua vontade compulsiva por comer calorias exageradas, esses são o tipo de cara que te fará sentir um lixo.

São os quase heróis que estarão preparados para a gente a qualquer hora do dia ou da noite, que colocará teu nome da agenda telefônica com um toque diferenciado, desenvolverá pensamentos a seu respeito a todo instante, que vai se lembrar das suas flores preferidas e dará um jeito de consegui-las até mesmo fora da estação.


                             Talvez ele nunca voará,
 mas com certeza não vai te deixar cair.

6 comentários :

Anônimo disse...

Incrível. Profundidade e simplicidade. Ainda existe fé no essencial...

@Francisquices disse...

AMEI o texto, sera eu um quase herói? rsrs

Gosto daqui. :) Sempre acompanho na espreita.


P.s: Quero o meu abraço. :)

Poeta da Colina disse...

A busca pelo encontro é cheia de variáveis. Se não, todos quase heróis estariam enamorados. A vida se completa de diferentes maneiras.

Fernαnda Medeiros disse...

Lindo, lembrei de um herói sem asas.

Araújo disse...

Me sentia estranha por gostar desses tipos de caras, porque eu sei que os "corajosos" são sempre os babacas.

Cinthia Souza disse...

Que lindo...amei, bem minha cara!! ^_^