11 novembro, 2008

O futuro é passado

Preciso de abraços para me ressuscitar, de sorrisos e chateações. Preciso de lágrimas para me refrescar, do vento para me deixar levar por algo que nem eu e nem ninguém pode saber. Preciso nascer de novo pra conseguir ficar em pé.
A verdade é que por frustração, alguém muito sacana criou o chão. Cair no vazio doe menos – como eu gosto da inércia. Todos estavam perdidos em seu achado lugar. Era possível cair sem se machucar.
Talvez eu esteja anestesiada por já tantas e tantas vezes sentir algo parecido. Agora ele é só mais um desconhecido. Ver o futuro que desenhamos ser amassado e ir pro lixo é algo que no mínimo me trucida. Ainda não me acostumei a decepções. Minha memória poderia ser mais altruísta. O futuro agora não passa de passado, e o presente de solidão. Pra falar verdade, às vezes minto tentando ser metade do inteiro que eu sinto.

Depois de engolir tanto desgosto e decepção, eu odeio tudo o que vocês fazem, pensam; tudo o que vocês são. Vocês são uma mentira, e vocês sabem disso. Vocês inventam tantas situações, alimentam tantos sentimentos, substituem os outros como se fossem descartáveis e como se vocês fossem de verdade. Vocês não são de verdade. Ele não passou de mais um. Vocês se reúnem no fim de semana pra brindar cegamente algo que vocês não são. Pronto, falei. Eu deveria me sentir melhor agora. A verdade é que isso tudo me faz ficar acordada. E quando eu consigo dormi, acordo e penso no que não devia.

As coisas ficam muito boas quando a gente esquece. E sinto exageradamente esse gosto de nunca ter te tido. Minto, ter te tido pela metade e não ter sobrado nada. Dessa vez eu pensei que daria certo, pensei que teria o que escrever sobre o ficar de mãos dadas num dia qualquer, falar não sobre amor...mas, sobre amar.
O meu erro é que espero do amor essa sensação de eternidade. Descobrirei antes tarde que não sinto medo de amar. O que me dá esse pânico desesperador é a idéia de não poder amar, de amar a pessoa errada, de ser abandonada antes de virar pro lado, de não ser amada. Alguém me dá um choque? Só não quero chegar ao fim do mundo e não ter ninguém para abraçar.

E apesar de todas essas suas desculpas que não me interessam, eu sei que o amor verdadeiro é o amor impossivel. Não é um adeus, é só a realidade.

Eu te amei.

Futuro do Pretérito do Indicativo.

33 comentários :

Arcano 13 disse...

amar não é eterno... não sei se isso é bom ou ruim...

ARCANO disse...

Só enquanto dura. Grande bobagem.

Anônimo disse...

Até que a morte os separe.

ARCANO disse...

Ou uma nova diversão.

Anônimo disse...

Alguém tem que ceder :B

ARCANO disse...

Aff.

Carlinha Said disse...

Não é eterno?Talvez...


Não sei se seria idiotice acreditar no "pra sempre" ou seria inteligente acreditar que "aquilo não era o amor"...


O fato é, o amor pode continuar, se não houver raiva, rancor, decepção e afins? Não sei...


beijocas

... disse...

pq as coisas nao são como a gente quer !

ARCANO disse...

:\

ARCANO disse...

E pra dar certo alguém tem é que esquecer.

Anônimo disse...

Fim.

ARCANO disse...

(:

sylvia disse...

já dizia Lolita Pille:
"se ele houvesse me amado ainda assim não teria sido o bastante..."

:]

Ricardo Valente disse...

O que escreveste é muito real e bem escrito. Jamais deves desestimular (muito pelo contrário). O amor vai chegar na hora certa! Talvez num lapso da lua... Beijo, linda!

Luis Gomes disse...

A verdade não existe, nunca. Mas quando se está amando, a verdade acaba existindo. Outra, o problema não é o amor, mas sim desamor do Outro. Nunca o problema está dentro da gente. Por isso que é bom estarmos sempre atendo a tudo. Beijo

ARCANO disse...

"Outra, o problema não é o amor, mas sim desamor do Outro."

Luis Gomes disse...

Sempre pensei no desamor. É um tema e tanto, não pelo amor, mas pelo excesso, às vezes a falta do amor também, mas sempre do que não vemos em nós primeiro. Lembrei dessa frase do livro do P. Roth, "O animal agonizante": "...por que motivo qualquer um haveria de parar para pensar numa coisa que nos dá a impressão de que não estamos compreendendo?" Penso assim, sobre o tema "amor", "desamor".

ARCANO disse...

Roth é sóbrio é intenso, me instigou mais em Todo-o-mundo.

Mas, Clarice consegue organizar meus pensamentos em paragrafos:

"Amanheci em cólera. Não, não, o mundo não me agrada. A maioria das pessoas estão mortas e não sabem, ou estão vivas com charlatanismo. E o amor, em vez de dar, exige. E quem gosta de nós quer que sejamos alguma coisa de que eles precisam. Mentir dá remorso. E não mentir é um dom que o mundo não merece..."

Luis Gomes disse...

A última frase dela é maravilhosa. Gosto também. beijo

Pâmela disse...

Acho que o problema é a idealização do amor.
Quem inventou hollywood devia ser crucificado.

Patrícia Harumi disse...

Também acho que o problema é a idealização do amor.

C. Biasucci disse...

me concentrei no ultimo paragrafo..
nem sempre as coisas funcionam nesse tempo verbal, ainda mais quando se trata de amor (ou de alguem que acha que é amor).

eu sei o que é um futuro sendo jogado no lixo. o que nao doi nao é o futuro, mas o presente do indicativo que vai ser daqui por diante.

May Carvalho ჱܓ disse...

O pior de tudo é você passar acreditando que tudo foi verdadeiro e que seria um pra sempre.. De repente vem aquele choque que diz "Acorda que o sonho já cabou"...
:/

Beijos

Anne Maria disse...

Amor mulher/homem pra mim é algo complicado demais, acho que não é pra mim...

Tiagho Diniz. disse...

Nossa!
Acho que meu ultimo texto dialoga com este aqui!!
Nossa!

Sonebald disse...

A tua grandeza fascina. Aliás, o que amor?

ARCANO disse...

É morrer e continuar respirando.

Tiagho Diniz. disse...

o que aconteceu?
a continuação, mais do mesmo. Nem posso chamar de retrocesso pois não houve progresso.
e isso basta. Sad.

Coe.insistecia.

Felipe Martini disse...

tupamaro.poa@hotmail.com


conversemos sobre!


=]

Anônimo disse...

e agora?!

Anônimo disse...

e agora?!

ARCANO disse...

Se morre, porem continua respirando.

Nathy Schervinski disse...

Olá, 1ª vez que to entrando no teu blog e queria dizer que gostei dos teus textos. Vo passar a vir mais vezes por aqui.
=)