24 março, 2009

Alguém para beber comigo

Balanço a cabeça para dizer que tudo não me interessa. Divido meus ossos com pensamentos, alguns pensam estar sempre certos, outros são quietos e irritados, outros, eles parecem tão legais, por dentro eles talvez se sintam tristes e errados. Porque os sentimentos vão dizer todo tipo de coisas que não significam nada pra mim, porque tudo que vejo é o que está na minha frente. Não me agarro a misérias emocionais.

Por vezes, quando reflito sobre as tremendas conseqüências das pequenas coisas, fico tentada a pensar que não há pequenas coisas. Já assisti tantas vezes meu coração ser estrangulado pelas outras pessoas – tão previsível -, só quero mudar de canal. Agora só confio no semáforo – embora minha crença não seja só no dinheiro, acredito também no Google.

Eu finjo ser feliz pra eu não ficar chateada comigo. E isso irrita demais as pessoas. Todas as manhãs eu deixo os sonhos na cama, acordo e ponho a roupa de viver. Todas as manhãs caminho vagarosamente para o mesmo lado que me levará para lugar nenhum, para ver ninguém E todas as manhãs imagino como serão as tardes, já sabendo a resposta, finjo ser feliz assim todas as manhãs E todas as manhãs eu espero pela noite, espera assim arduamente para voltar para meu quarto, e ser triste. É quando sento no chão, me sinto assim completa. Completamente triste, completamente vazia. Mas, completa. E quando tiro a roupa e ponho todo o meu corpo em baixo das cobertas quentes e sinto que começo a sonhar, é quando sorrio. Assim pra ninguém. Mas pra mim mesma. E não me olhe como se eu fosse uma estranha, eu só sou desconhecida – faz parte do meu charme -, estranho seria se as pessoas se amassem. Farei-me normal, e muito mais previsível que antes, porém sem deixar ou menosprezar qualquer afeto. Não respondo por mim, nem por ninguém. Além de meus atos, é claro. Diga-se de passagem, a insanidade ainda se encontra em minha mente. E espero que nada mude nesse meio tempo. Tudo bem, não sofra leitor. Compre uma garrafa de vodka e baba comigo.

Nossas vidas são superficiais. Por isto inventaram os remédios para dormir. Quando escrevo, repito o que já vivi antes. E para essa vida um léxico não é o suficiente. Mas, se não fosse pelo sentimento, seria por qualquer outra coisa. E não é o mundo que está triste, é você que exige demais. Se aqui existisse alegria, com certeza eu não seria feliz. Minha parte triste fica livre aqui, ocupando todo o espaço. A alegria utiliza o resto do mundo. Se ser feliz é algo parecido com isso, eu prefiro ser como eu sempre fui.Ou então é como o professor disse: "O cara é burro, isso por que ele foi o espermatozóide mais rápido, imagina se ele fosse o último? Não conseguiria andar e mascar chiclete ao mesmo tempo." – Imagina se ele beber vodka.




12 comentários :

(...) disse...

Gelo, muito gelo, por favor!

Todo amor que houver nessa vida, e um trocado pra dar Garantia ;) Brindamos.

Talita disse...

é... faz mó tempao que eu acompanho seu blog, mas tipo nunca tive a coragem de comentar alguma coisa, mas o que vale é o que importa né?
hoje eu vim e comentei so pra te dizer que tu és muito parecida comigo e seus testos são PERFEITOS *-*

Talita disse...

textos*

Jaime disse...

Descrever o que sente com esse detalhismo encantador, é para poucos. Eu ainda acredito um pouco em tudo isto que nos move, mas afirmo que me vi muito ao ler a postagem.

ARCANO disse...

Talita: Fico muito grata, é bom saber que há alguem que lê.

Nomais, me encanta quando alguém encontra pedaços seus nas minhas palavras, mas nao abuse. Sou egoista!

:)

John, O Lobo disse...

Vc escreve muito bem, gosto muito de ler seus post, embora não me sinta capaz de comentá-los com a profunddidade que eles merecem.

Gosto bastante que sempre há frases que dão um impacto legal. Como "Eu finjo ser feliz pra eu não ficar chateada comigo"
Realmente, muito bom.

ARCANO disse...

Eu quase sorri.

DancingQueen disse...

Não é apenas muito bom, é perfeito. Nos faz sentir algo de verdade, concreto. Sem palavras pra ti.

Bjbj ;*

Albertt disse...

quem não sonha não vive...
não deixe de sonhar, abraços

;]

Lipsticks* disse...

"Eu finjo ser feliz pra eu não ficar chateada comigo." E para repelir qualquer mente curiosa, pronta para interferir e - consequentemente - atrapalhar meus planos. Não costumam te pedir o porque você está feliz, a melancolia parece sempre mais interessante para os espectadores.

Carolina disse...

Dose dupla per favore, bella!!!!

bjos meus

Giovana. disse...

Strokes no início do post, hm. E um texto foda, cheguei no teu blog por acaso e já apaixonei (;