02 agosto, 2009

Almofadas de saudade

Eu sinto que a minha vida é uma pequena e limitada amostra grátis, ela me parece pouca e nada basta. Eu realmente não esperava me sentir tão assim. Eu poderia ficar o dia inteiro sem respirar, a dor já suportável. Sabe, é até engraçado. Tudo continua a mesma coisa, a mesma falta de algo que nunca tive - posso até mudar o corte de cabelo, trocar as gavetas de lugar, responder as cartas que nunca recebi ou quem sabe ler as piadas que saem na contra capa do jornal -, por dentro o vazio continuará o mesmo.
Sinto-me tão só, tão apagada. E eu gosto tanto dessa solidão, mas eu queria que uma mão qualquer me puxasse e me forçasse a viver. E só, só isso. E agora estou me refugiando, em uma das coisas que sempre evito, apertar o grande botão. Televisão, eu não suporto tanto, e agora, a única coisa que consegue me fazer rir seriamente.

As coisas estão estranhas e nada parece se encaixar, eu me sinto distante, mas faz algum tempo que eu não apenas me sinto só, mas não sinto nada. Ando pela casa, ouço sons, leio, canto e rio, mas me sinto longe, avoada, fora do ritmo da sociedade. Se eu morresse agora, não faria diferença, não faria diferença para mim. Tampouco viva em carne e osso aqui estou, morta e vaga internamente me sinto. Eu escravizo quem me resta, e não me importo com nada a não ser pelo fato de não me importar. É tudo frágil e largo, tudo monótono e adorável. E só o que me basta e uma boa noite de sono, mesmo com a insônia dos meus devaneios, duráveis três horas sonhando com os olhos abertos, dormir é a melhor parte de existir. Fechar os olhos, não ver, ouvir ou sentir. Sumir do mundo. A dor que envolveu todas as dores que eu já senti.

Quando tudo isso acabar, vai sobrar apenas um corpo mole jogado no sofá, um pensamento acabado, um olhar distraído, um coração abandonado.

17 comentários :

Nanda Assis disse...

muito lindo, triste e solitario.

bjosss...

Talita Prates disse...

Já me senti assim. Por um longo tempo. FElizmente, isso passou.
A vida é isso aqui, agora, e não espera a gente se "recuperar".
Força e paz pra vc.
:)

Anônimo disse...

muito lindo, triste e solitario.[2]

ARCANO disse...

Não quero força, quero chocolate.

LUA DA PAZ disse...

ENTÂO LEVANTA PORRA!!!

Anônimo disse...

chocolate tem na próxima padaria.. ou supermercado :)

ARCANO disse...

Oh!
Não me diga (:

Anônimo disse...

A mão amiga de que precisa encontra-se ao final de seu braço.
Sorte.

M ! disse...

Se não quer força não a peça. Busque apenas teu chocolate em meio a tua solidão.

ARCANO disse...

Solidão e chocolate.

Te pedi alguma coisa?

(:

Anônimo disse...

mas então por que não foi pegar o chocolate ainda? let me think about it

- eeeeeii disse...

To chegando com almofadas coloridas pra gente deitar no sol e bolar planos malignos! ((:
te amo, vadia.

ARCANO disse...

Meus dentes já estão podres de cacau (:

Adoro quando perturbo os pensamentos alheios. Oh!

M ! disse...

solidão e chocolate nada mais fácil e óbvio.

eu pedi se tu pediu alguma coisa? :)

Comento porque gosto do que tu escreve, daquilo que leio.
é simplesmente uma questão de comentar daquilo que gosto :}

ARCANO disse...

Tão previsivel.

(:

Uou. Continue comentando!

Sαbrinα disse...

Me sinto assim hoje :/
Mas é certo que tudo vai passar, e ao contrario, penso q estarei mais forte (:

Mari disse...

Oi Luara :) vim do tumblr diretamente para aqui. Também tenho esse meu blog e já estou te seguindo para poder acompanhar teus textos. Esse é lindo, meio triste, solitário... mas me descreve nesse momento, me sinto exatamente assim. Não que isso seja irremediavelmente mau, é estranho, enfim. Amei de verdade, parabéns :) beijinhos, mari. (tumblr: sonho-alem-do-arco-iris)