15 janeiro, 2012

Tropeços

Para voltar a falar de nós eu sei que um simples “me desculpe” não basta, nem bastou. E por mais que eu tente parar de me culpar por erros dos quais estou me esforçando para corrigir o teu olhar continua em uma atmosfera diferente do meu. Mas, há algo na lembrança das tuas mãos nas minhas que não me deixa soltar a gente.

Você sempre foi meu amigo, sempre consegui secar minhas lágrimas em teu sorriso. Toda dor que estava em mim você era capaz de diminuir e conseqüentemente me mostrar que o que eu tinha pra ser feliz era muito maior que qualquer outra coisa. E hoje eu sinto tanta falta disso, da rotina de escutar sua voz me querendo perto, de momentos meus que se tornavam nossos. Meus erros não trouxeram um fim, o que ficou foi um sentimento interrompido.

Meu arrependimento me torna murcha, como se somente você pudesse me fazer florir novamente. Não peço que aceite todas essas minhas desculpas, mas somente aceite que eu errei e quero consertar isso. Não quero um recomeço, pois não me basta continuar de onde paramos.
Quero tudo de novo, no entanto diferente. Quero poder ser quem te faz bem, quem te faz querer dias melhores, o que te traga alegria em ser meu.

Continuo me doendo, já me conformei que a saudade não é suficiente pra trazer seu abraço de volta. Todos meus tropeços só fizeram com que você seguisse sem mim. Nem a madrugada me conforta, sempre que acordo e percebo que quando te encontrar minha boca não poderá cruzar com a sua, que nem nossas risadas serão pares, que nem nada do que éramos antes é você agora.

Eu sinto que tudo que fiz de ruim pra você te transformou em alguém que me machuca tanto quanto te machuquei, e mesmo assim tudo isso me impede de te deixar de lado. Eu quero que você saiba que faria de tudo pra sermos você e eu, nem que pra isso tenha que errar até te acertar e continuarei tropeçando em nossas lembranças para amenizar a sua ausência.

*Encomendado por Jé R.

6 comentários :

Contradita disse...

Quando se pensa em quanto alguém que amamos é capaz de nos machucar, estamos vendo apenas um prisma da questão.

Existe um outro tão doloroso ou quem sabe pior.

Quando os erros são seus, quando foi você que primeiramente quebrou alguma coisa no "nós".


Não adianta querer apagar.

Mas quando a relação é sincera, quando é sincero o arrependimento ... sempre achei que vale a pena lutar pelas mãos dadas.

E essa nunca foi uma luta unilateral.

Adorei o texto, parabéns. Volto outras vezes.

Flá Costa * disse...

engraçado, encomendar textos, não é? é uma coisa tão atual, cosmopolita, sei lá.

o texto, como sempre, muito bonito.

beijos

George R. disse...

Muito bom o texto.

Cadê o meu luarinha?

Poeta da Colina disse...

Temos que ser livres para amar e para doer.

Iah disse...

Lindo, lindo!

Mariana Barreto disse...

MARAVILHOSO!