27 fevereiro, 2012

Distração

É um ainda que dói demais, as minhas expectativas estão sem vontade de mim. Encolho-me em um ontem que me fazia existir para não ser expulsa pelo tempo. Já não é o suficiente ser, o meu adiante nunca é longe do que preciso deixar.

Garrafas vazias e lembranças preenchem meus fins de semana, não me cobre uma vida nova, não me culpe por não conseguir esquecer teu riso. Fui me deixando na esperança de abandonar o que sinto; já não uso mais a mesma receita de café nem a mesma música. Estou doando um pedaço de mim que é passado.

Continuo indecisa, nunca suportei esses dias de sol em que insistem para um lazer acompanhado. Antes de acordar deixo uma parcela da saudade que surge a noite, tenho medo de voltar para a cama e não ter mais a que me apegar.

As cicatrizes já não comovem nenhum talvez, ter motivo para sorrir é vontade vencida. Foi um sentimento acústico, foi tato quando deveria ter sido certeza, foi antes quando meu coração esperava por um agora.

6 comentários :

Laaura disse...

AMEI Luara Q.! Texto sensacional!

Sandra Paula disse...

Lindo o texto. Parabens.

Elania disse...

Lembrar para distrair... é isso? hm.
Me soou melancólico, a sua maneira...
Mas lindo *-*

Poeta da Colina disse...

E ele sobriveverá para ver outro.

Samanta disse...

Nossa...
Melancolicamente lindo.

Jéssica R. disse...

sem palavras pra descrever o quanto esse texto é perfeito *-*