12 outubro, 2011

Entrevista com Pequeno Príncipe

Olá meus queridos. O nosso programa está recomeçando com uma surpresa deliciosa para todas as crianças existentes em nós. Hoje trago aqui alguém cheio de intensidade, de sentimento e de beleza, alguém que preenche o cenário literário mundial e muito de nossas vidas. Se deliciem com o Pequeno Príncipe!

Luara: Bienvenue Petit Prince! Sua presença aqui em meu blog preenche muito do que sinto e traduz mais ainda o que meus olhos tentam dizer.

PPríncipe: Bonjour Mademoiselle!

L: Estava ansiosa com sua espera.

PP:Sei como é, “se tu vens as quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz." - (sorriu).

L: Gostou de retornar ao nosso planeta?

PP: Muito! "A Terra não é um planeta qualquer!"

L: Concordo com você, mas ultimamente aqui tá uma bagunça imensa, e todo mundo sabe porquê, mas ninguém sabe como.

PP: "É tão misterioso, o país das lágrimas...." "É todo seco, pontudo e salgado. E os homens não têm imaginação. Repetem o que a gente diz..."

L: E o seu planeta, como é?

PP: "Tu olharás, de noite, as estrelas. Onde eu moro é muito pequeno, para que eu possa te mostrar." (...) é o asteroide B 612.

L: E o que tem lá?

PP: "No meu planeta eu tinha uma flor: era sempre ela que falava primeiro." - (suspirou todo o pulmão).

L: Aqui também temos flores, mas muitas vezes esquecemos disso.

PP: "Os homens do teu planeta, cultivam cinco mil rosas num mesmo jardim...E não encontram o que procuram..." - (me lançou um olhar distante).

L: Verdade, e a maioria das vezes nem precisamos procurar muito não é mesmo?

PP: "Só as crianças sabem o que procuram..." - (piscou lentamente com um par de olhos infinitos) - "Todas as pessoas grandes foram um dia crianças...Mas poucas se lembram disso!

L: Tenho medo de um dia também esquecer. Pessoas grandes dão trabalho não é mesmo?

PP: "Vivi muito no meio das pessoas grandes. Vi-as muito de perto. Isso não melhorou, de modo algum, a minha antiga opinião..."

L: E qual seria? Poderia nos explicar?

PP: (ajeitou seu rosto com a mão direita e apoio um quase sorriso nela) - "As pessoas grandes adoram números. Não perguntam nunca: Qual é o som da sua voz? ou Será que ele coleciona borboletas?" - "É preciso dizer-lhes: vi uma casa de seiscentos contos...Então elas exclamam: que beleza!!"

L: Talvez isso tudo seja invisível para as pessoas.

PP: “Só se vê bem com o coração...O essencial é invisível aos olhos.”

L: E você tem muitos amigos?

PP: "Num mundo que se faz deserto, temos sede de encontrar um amigo."

L: Por aqui poucas pessoas buscam, e quando encontram na maioria das vezes se perdem dele.

PP: "Nem todo mundo tem amigo."

L: Isso é triste né?

PP: "Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos."

L: É, as pessoas precisam entender muitas coisas ainda.

PP: "Uma pessoa para compreender tem de se transformar".

L: Sinto amor em seu olhar.

PP: "O amor é a única coisa que cresce à medida que se reparte." - (sorriu) - “E nenhuma pessoa grande jamais compreenderá que isso tenha tanta importância.”

L: Entendo você, majestade. Geralmente o que realmente importa não ocupa o seu devido lugar. São tempos difíceis...

PP: "Foi o tempo que dedicastes a tua rosa que a fez tão importante." Embora, "seja preciso que eu suporte duas ou três lagartas se quiser conhecer as borboletas."

L: Apesar de tão pequeno você conhece tanto da vida, das pessoas, dos sentimentos...

PP: "A gente só conhece bem as coisas que cativou."

L: Então você não se sente sozinho?

PP: "Tu te tornas eternamente responsável por tudo aquilo que cativas”.

L: Como eu queria que você ficasse conosco e nos ensinassem a cultivar rosas e amigos. Fico triste por nossa despedida estar se aproximando.

PP: "A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixa cativar" - (seu sorriso se espalhou por todo seu rosto) - "Quando olhares o céu de noite, porque habitarei uma delas, porque numa delas estarei rindo, então será como se todas as estrelas te rissem ! E tu terás estrelas que sabem rir."

L: Estou tentando achar algo para lhe dizer pequenino:

PP: Que tal: "Serás para mim único no mundo e eu serei para ti única no mundo"?

L: Perfeito! É exatamente isso que eu e todos os leitores sentimos por você! Gostaria de dizer algo para teus fãs, admiradores e amigos?

PP: (pegou em minha mão como se fosse uma flor) - "Trate de ser feliz."

*Abracei o Ppríncipe e senti milhares de estrelas brilhando entre nós.*

L: Espero que todos vocês tenha gostado dessa conversa tão linda, e que tenham um feliz dia das crianças! Um abraço a todos e não esqueçam de comentar ok? Merci mon cher.

*APLAUSOS*

Saint-Exupéry obrigada por ter nos deixado o Pequenino.

E um feliz dia das crianças à todos nós!

13 comentários :

Marie disse...

Acerteeei *---*

http://twitter.com/#!/mzk_7/status/123805782977413120

mateus f disse...

Você é deeeemaaaaais, minha escritora favorita! Te amo ♥

Anônimo disse...

melhor impossível, parabéns, me fez sorrir!

Gabriela Freitas disse...

(suspiro e sorriso) ficou incrível.

Angela. disse...

ai que coisa mais linda gente!

**muitos aplausos**

eu amei! *--* Fez-me pensar e sorrir como criança!

parabéns

Ana Paula disse...

PERFEITA A SUA ENTREVISTA!

Luara Q. disse...

Ah gente, tô tão contente em saber que vocês gostaram! Super obg de <3

Luis Macedo disse...

"A gente só conhece bem as coisas que cativou."

;D

Parabens!!!

Ana Claudia disse...

Gostei muito de conhecer seu blog, você escreve realmente bem!
Essa entrevista ficou linda, O Pequeno Príncipe é, sem dúvida, um dos meus livros favoritos (:
Se puder dar uma passadinha no meu blog também, agradeço. Beijos, Ana Claudia.
http://findabetterworld.blogspot.com

Anônimo disse...

Amei *-*
/http://mairayasunaka.tumblr.com/

Fabianny disse...

Que coisa mais linda, Laura!
Parabéns pela sensibilidade!

Anna Flávia disse...

Mas eu achei a coisa mais linda do mundo.

#Jeskinha Lacerda disse...

Je suis très heureux, comme toujours, avec sa belle façon d'écrire. Amené l'irréel au réel d'une belle manière. Merci à Saint-Exupéry, mais vous avez aussi Luara Quaresma.