11 abril, 2012

Parágrafo

Você acordou e nem quis saber do relógio, lembro que me procurou na cama mesmo eu já me encontrando em seus braços. Talvez você só quisesse deixar em negrito que éramos certeza. E aí você traz teu sorriso pra minha boca e me diz que planejou isso tudo desde que nasceu. Me basta acreditar, porque é isso que você faz comigo.

O mundo deve estar pelo avesso como nossas roupas. Sei que foi para isso que  aprendi a esperar, comparo nossas peles e percebo que meu corpo combina com o seu sem nem precisar se esforçar.

Você me faz querer sentir tudo, um tudo que começa pelo seu nome. Não preciso planejar nenhuma poesia, te respiro pra me inspirar. Meus versos contornam seu rosto, faço prosa na sua nuca, rimo com seu gosto. Li teu corpo e minhas mãos marcaram cada página.

Cada toque é um parágrafo, e então me aproximo das vírgulas para doer menos. Mesmo nosso titulo sendo plural, mesmo com toda felicidade com cheiro de café e de amor sei que você não pode se atrasar pra voltar.

E quando te vi saindo da cama, buscando as meias como se precisasse de alguma desculpa para continuar ali, percebi que toda essa distância é margem demais para nossa história. Não consigo lidar com essas pausas de nossos abraços, não consigo fechar a porta e desejar que dessa vez tudo seja mais rápido. Os lençóis denunciam a saudade que fica pelo resto das semanas.

Teu perto é muito curto.




                                                                                                   E mesmo assim eu só,
                                                                                                          só você pra me trazer sol.


Encomendado por Morgana L.

3 comentários :

Lissandra disse...

Que texto perfeito!

Júlia Evelyn disse...

A perfeição do seu texto floresceu romantismo em minh'alma para me fazer escrever também.

Luara disse...

Muito bom!