07 abril, 2012

Tudo de mim

Não pude deixar a sala nem desistir do mundo quando flagrei aquele sorriso que acordou meus pensamentos e me faz esquecer o resto do antes. Ele estava no canto, estava sem jeito, no entanto preenchia todo aquele espaço entre o nada, entre mim, entre tudo. Eu olhava em sua direção sem culpa e sem vergonha, meu olhar era uma grande sirene em busca de sua atenção.

Olhei, olhei, olhei.
E então enxerguei: ele era cego, completamente cego. Foi então que percebi sua bengala, seu cachorro e seu óculos.

Estava distraída demais absorvendo aquele sorriso que deixei a realidade a minha volta para depois do banho. E ainda assim gostaria de experimentar a certeza da voz dele, imaginei se ele sorria assim pelas manhãs ou no meio da noite. Travei a respiração quando meu peito em um suspiro entregou minha presença e ele me olhou, mas não me viu.

Não queria ser invisível naquele momento, por mais que eu praticasse, por mais que me fosse fuga, agora eu só queria que ele percebesse que nós habitávamos o mesmo planeta.

Demorei a perceber que era minha vez, fiz o que tinha que fazer ali e sai com uma pressa decepcionada. Algo em mim insistia para esquecer as horas e chegar perto dele, pelo menos o suficiente para quem sabe uma troca de reticências. Desisti do que nem tentei, meu jeito não muda as previsões do horóscopo.

Quando estava nos últimos degraus da escada lembrei que havia deixado lá meu casaco de linha marrom. Voltei contrariada, e mesmo cansada meu coração acelerou quando o vi novamente. E ele estava entre o corredor e o banco que havia deixando o casaco. Me aproximando cada vez mais dele percebi o quanto a natureza havia sido generosa, sua beleza era insultante.

Peguei o casaco, tentando não chamar a atenção, mas fui obrigada a pedir licença.

- Obrigada. – Sorri muito contente por sair dali provando a ele minha existência.
- Não foi nada. Aliás, seu sorriso tem um som lindo.

Naquele momento ele me roubou todos os sentidos.

3 comentários :

- disse...

Tão lindo *-*

Karla Vieira disse...

Simplesmente lindo. Você escreve muito bem! Queria eu saber escrever assim. Parabéns, anjo, de verdade. Nunca desista desse talento!

Anônimo disse...

Não quero parar de ler seus textos, são maravilhosos! Parabéns flor! (: