02 fevereiro, 2013

Últimos tempos

Você me apresentou um amor tão certo, tão bonito e tão dolorido. Te esquecer não faz parte dos meus dias, te riscar do mapa não é opção, não sei como responder a tua ausência, não consigo ignorar teu abandono, é difícil perceber que fui nós quando você era apenas seu.

Procuro ajuda em tudo que me dói, tento resgatar meu coração que não quer saber de voltar pra mim, é teu como todo tempo mais lindo da minha vida, é teu como a vontade que tenho de matar a saudade que consegue deixar minhas lágrimas mais cumpridas, é teu como tudo que eu sinto e sinto muito por você não sentir nada disso.

Na verdade, eu não sei te detestar, não aprendo a te deixar nos históricos, não consigo deixar de imaginar tua existência, apesar do meu mundo estar em pedaços por sua causa, eu sei que só você pode me fazer feliz. Como consigo apesar de tudo te amar? Como é possível que o amor seja ainda a única coisa que me atiça a abrir os olhos? É a simples possibilidade de te encontrar e de te fazer ficar comigo que me traz o fôlego que eu continuo perdendo pra tristeza.

Você some como se isso fosse parte de um espetáculo, você desaparece, no entanto permanece. A tua ausência me culpa, insiste em dizer que eu não fui o suficiente quando tudo que fui é ser tua. Por todas as tuas atitudes deixamos nosso futuro sem teto, nossos sonhos estão no mudo e o que me fazia sorrir já não comove mais meu pulso.

Só espero tua verdade, te quero de volta porque te amo e não me lembro de sofrer quando você me coloca no teu peito, não me importo em deixar para trás o que possa diminuir nosso presente, apenas insisto na esperança das nossas peles enrugarem juntas. O teu olhar anestesia tudo que já me fez doer, tuas mãos são curativos para as minhas madrugadas salgadas, pois você coloca minha felicidade em dia.

Apesar desse tudo que já foi, espero te ver feliz. Sei que em algum momento eu terei que te deixar como um lembrete do que não posso repetir, terei que deixar de te amar por te amar demais, enquanto esse amor sobreviver tenho a impressão que estarei me matando na mesma proporção.

Encomendado por L.M.A






7 comentários :

Anônimo disse...

Muito lindo seu texto, profundo! Adoreei ;D ~ Gabriela Matos.

Anônimo disse...

Muito lindo seu texto, profundo! Ameei ;D ~ Gabriela Matos.

Anônimo disse...

Acho que não preciso dizer nada, mas mesmo assim direi. Mais que perfeito Luarinha. ;)

@TariihLuisa disse...

Muito perfeito <3

Lisa Nunes disse...

Falou muito do que sinto, como sempre rs. <3

Antônio LaCarne disse...

lindo, profundo, direto, morderno e super inspirador.

Raquel Gattermeier disse...

Adoro seu blog e tudo que você escreve. Parabéns!