10 junho, 2008

Cansaço existencial

Cansei desse lixo diário, cansei dessa gente descartável, cansei das pessoas vazias, cansei dessa vida de marasmos. Os fatos revelam tudo, as atitudes confirmam. O que você diz - com todo respeito - é apenas o que você diz. Retire o respeito, não me importo com você.
Então, outro dia surgiu um garoto que até pensei na possibilidade de criar alguma relação instantânea com ele, o problema é que não sei mais como começar tal processo, e sendo assim ele concluiu algo realmente digno de minha atenção. Segundo suas constatações, eu sou uma menina que sofreu uma grande desilusão ou trauma com algum membro do sexo oposto e tento compensar tentando me sair cruel e fria, enquanto no fundo sou uma menina com uma necessidade incontrolável de ser amada.
Não é realmente compreensível? Alguém que nunca me viu, age como se me conhecesse – pausa para reflexão. Risos. Até parece que eu me importo.
Talvez pelo fato dele ter um pouco – eu disse um pouco -, de razão não lhe joguei nenhuma praga, até porque se me abalasse com cada critica e reflexo aceitável e quase involuntário da casca que me cobre, creio que todo esse meu espírito misantropo e heterofóbico perderia todo o encanto do mistério.
Já nem sei por onde este garoto anda, provavelmente eu atormentei seus pensamentos por alguns instantes – tenho essa mania de grandeza, e não sinto muito.
Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos, um livro mais ou menos. Tudo perda de tempo. Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoração ou seu desprezo. O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia. Apesar de tudo isso, eu poria entre os Mandamentos: nunca falar de si em vão.
Deixem-me cá com todas minhas farpas e autoflagelação, e vá cuidar de seus problemas. Por mais que eu pense, que eu sinta que eu fale, tem sempre alguma coisa por dizer, nunca é o suficiente. Quem muito diz não tem muito a dizer. Então, não vou falar nada!

Eu aprecio todas as palavras que você não disse, as pessoas têm que perceber que não estou aqui para me agradar ou as fazer felizes. Eu já nasci desencarnada, fato!
Dentro de mim há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que sou – talvez essa menina citada pelo garoto que acha Victor Hugo mais atraente que Nietzsche-, sendo assim sou sempre o alvo das críticas.
Eu sou fiel às minhas vontades. É preciso ter um caos dentro de si para dar a luz uma estrela cintilante, no entanto nunca abdiquei do controle da minha vida.
Já me acostumei a estar entre a cruz e a espada, pessoalmente a espada me atrai mais, porém a cruz sempre foi quem me defendeu, embora não acredite nesse escudo tão tolerante. Quando não se tem mais em que acreditar, acabamos por introduzir em nossa vida tudo aquilo que por algum segundo se tornou necessário, até mesmo o amor. Uma necessidade. Incontrolável. O que você não tem, você não precisa agora, o que você não sabe, você pode sentir de algum modo.
Nessas horas costumo responder com o silêncio, não existe argumento que possa revidá-lo – ele é a melhor arma. Sou alguém nadaptado do mundo, sou feliz somente quando durmo.
Só a antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente. Única lei do planeta. Expressão mascarada de todos os individualismos, de todos os coletivismos. De todas as religiões. De todos os tratados de paz. Portanto, não existe amor, muito menos essa necessidade incontrolável dentro de mim.

8 comentários :

du_Santus disse...

não existe amor. gostaria de acreditar nisso, infelizmente não consigo! queria deixar de acreditar em tanta coisa q é dispensável... enfim...

bjs

' arcano disse...

O amor em si, na falta ou em abundancia do mesmo é uma necessidade patologica. Nos habituamos, é so o que nos cabe!

du_Santus disse...

tava com insonia... =[

vo te linkar tb ok ;)
bjss

du_Santus disse...

aah! acabei de ver! meu arcano é o 13 - a morte... hehehe!

Lana disse...

as pessoas de hoje em dia pensam que te conhece, e começam a te julgar por um prototico que acha que voce é ou deve ser e isso me irrita! ja o amor as vezes ele existe, mais é cada vez mais raro *:
ps: vi no flickr seu blog ;D

' arcano disse...

Quase extinto!

Herr Schreiber disse...

"Temos que manter o rei divertido, ocupado, destraído, pois no dia que ele cair em si ele pode perceber o vazio que é o poder que ele tem"

É... quantos bobos da corte não temos em nossa sociedade consumista para nos mantermos iludidos e não vermos a verdade...

Will disse...

Sem dúvida nenhuma, esse cansaço existencial é algo compartilhado em nós....


Posso te add na lista de meus links? Tô adorando seus textos.

Sabe a terra seca quando recebe a chuva torrencial?

Então, parece que senti essa sensação de absorção quando li seus textos!!!