02 junho, 2008

Entrevista com Nietzsche

Hoje estamos aqui com o grande filósofo alemão do século XIX nascido em Röcken, Alemanha, Friedrich Nietzsche.


Luara - Agradeço muito a sua presença em nosso programa, por favor, fique a vontade

Nietzsche- "A vontade se supera um afecto não é, em último análise, senão vontade de um outro ou de vários outros afectos. "

L – Qual seria sua religião?

N- "Para mim o ateismo não é nem uma conseqüência, nem mesmo um fato novo: existe comigo por instinto!".

L - então, para o senhor Deus não existe, certo?

N- “Deus está morto. Viva Perigosamente. Qual o melhor remédio?”


L- O que o senhor define como (in) certezas e perigo?

N- "Aquilo que não me mata, fortalece-me."

L - Verdade que o senhor é fã de Beatles e Caetano Veloso?

N- “Sem música, a vida seria um erro.”

L - O que o senhor tem a dizer sobre a política?

N- "O Homem evolui dos macacos? É existem macacos!".

L - E esses camaradas que estão sempre na oposição?

N – “Quem luta com monstros deve velar por que, ao fazê-lo, não se transforme também em monstro. E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti.”

L - E a respeito do amor?

N- "Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal."

L – O senhor pediu Lou Salomé em casamento, ela não aceitou?

N – “Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te.”

L – Como foi isso para o senhor?

N- “É mais difícil ferir a nossa vaidade justamente quando foi ferido o nosso orgulho.”

L – Então o senhor superou?

N – “O verdadeiro homem quer duas coisas: perigo e jogo. Por isso quer a mulher: o jogo mais perigoso.”

L – Mudando de assunto, e o trabalho?

N – “Uma pessoa continua a trabalhar porque o trabalho é uma forma de diversão. Mas temos de ter cuidado para não deixarmos a diversão tornar-se demasiado penosa.”

L – Ouvi dizer que o senhor gosta de altura.

N – “Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar.”

L – O senhor acredita em sorte?

N – “O homem precisa daquilo que em si há de pior se pretende alcançar o que nele existe de melhor.”

L – És materialista?

N – “Apenas devia ser possuidor quem tem espírito: não sendo assim, a fortuna é um perigo público.”

L – O que o senhor tem a dizer sobre sua carreira e sucesso?

N – “O sucesso tem sido sempre um grande mentiroso.”

L – Qual foi uma de suas maiores dificuldades em vida?

N –“É difícil conviver com as pessoas porque calar é muito difícil.”

L – Então, o senhor gosta do silêncio e da solidão?

N – “Odeio quem me rouba a solidão sem em troca me oferecer verdadeira companhia.”

L – O que é melhor em estar morto?

N – “A recompensa final dos mortos é não morrer nunca mais.”

L - O que diz para nossos telespectadores?

N – “Torna-te quem tu és.”

L – Muito Obrigada, o senhor é muito franco em suas respostas.

N - "Até os mais corajosos raramente têm a coragem para aquilo que realmente sabem."

L – De qualquer modo, desculpe por havê-lo incomodado. Mas, é que neste programa sempre entrevistamos alguém que já morreu...

N – “Abençoados sejam os esquecidos, pois tiram maior proveito dos equívocos...”



*Aplausos*

8 comentários :

Homo sapiens disse...

Nietzsche, ô nomezinho complicado de escrever... Enfim, tão complicado quanto o nome é a profundeza das palavras dele. Essa menina vai longe, sintetizou-o em poucas citações. Grandiosamente grande. Ela é demaisss \o/ (L)

Herr Schreiber disse...

Show, show, show. Adorei !!! Muito criativo e bem construído o diálogo. Quando eu li "Entrevista com Nietzsche", fiquei logo empolgado em ler. Nietzsche é brutal ! heheheheh
“O verdadeiro homem quer duas coisas: perigo e jogo. Por isso quer a mulher: o jogo mais perigoso.”
huUHAUHuahuHAUHuhauhUH
Muito boa !!!
“Torna-te quem tu és.”
A essência do existencialismo !!! Perfeito !!!

Sonebald disse...

Nietzsche, q

:) você continua ótima (L)

sylvia moss disse...

voce é meu orgulho garota!
me fascina admito!
*.*

Nietzsche foi tão genial, tão genial, tão genial, que se perdeu em meio a loucura, mas afinal, completamente compreensivel que um genio caia nas teias da insanidade, mas convenhamos, ele poderia ter sido melhor, se não fosse tão pior...

Angela. disse...

maravilhoso! parabéns, de verdade, isso ficou muito bom! :D

estive tão próxima de Nitzsche esse ano, lendo o 'ecce homo', que achei simplesmente perfeita essa sua entrevista!

Nitzsche é um dos meus filósofos favoritos! ^^

e, parabéns mais uma vez!
beijos ;*

Feleps disse...

em que terreiro fez essa entrevista?

mimossauro disse...

Muito legal! Mas que pena eu achava que ele era fã de Kraftwerk e Pink Floyd. risos

Dudu disse...

Demais esse texto! =)