12 junho, 2008

Hoje não é meu dia

A contagem regressiva acabou.
Às vezes eu me pego olhando para o nada, segurando as lágrimas que vão nascendo em meus olhos. Segurando a angustia, o medo, o sofrimento. As nuvens mudam sempre de posição, mas são sempre nuvens no céu, assim devemos ser todo dia, mutantes, porém, leais com o que pensamos e sonhamos, lembre-se, tudo se desmancham no ar, menos os pensamentos. E com isso, vivo em mim.
Hoje é só mais um dia, só mais uma quinta-feira, só mais um Dia dos Namorados. Nada que possa me abalar e coisa e tal, só me fizeram analisar as perspectivas. Primeiro esse dia é de total importância e nostalgia para todos aqueles casais extremamente apaixonados e bláblá. Esses mesmos. Aqueles que fazem loucuras, declarações e o Diabo A’4 para provarem seu amor eterno. Também tem aqueles casais que não se preocupam muito, que acaba surgindo alguns ‘problemas de última hora’ e com isso vem as decepções, ou seja, esse “dia especial” não foi tão especial assim. Não posso deixar de mencionar aquelas pessoas que entram em depressão por ver na televisão comercias de companhias telefônicas, do tipo : “De um VIVO para sua namorada e fale mais 55512154212656526565656232 minutos gratuitamente com seu amor”. É trágico. Resta para esses viventes se afogarem em glicose e dramas convencionais holiwoodianos – por exemplo, o relacionamento de Jack e Rose e seu final, digamos...romântico -, se lamentam e esperaram que essas miseráveis 24 horas passem o mais rápido possível. Elas não passam. Pois é, o tempo continua em seu curso normal.
E registrar aqui minha admiração pelas pessoas que simplesmente por estarem livres, leves – ou nem tanto -, soltas nem se importam com tal data. É só 12 de junho. Vamos sair, balada, sexo, bebida, rock, mais sexo selvagem e trabalho no outro dia. Simples, pratico e fácil. Só palavras não conquistam corações. E minha última perspectiva racional e solene a minha relação com esse dia. Não que eu me importe... Você já sabe como as coisas funcionam por aqui: eu simplesmente não me importo! Então, esse não é meu dia.

Do seu crescimento você vai descobrindo os seus pedaços adicionais; cada um que se enquadra ao seu ser. A cada um dos fatos (não) consumados, as (a) venturas que acaba tendo. O giz vai atritando contra o quadro negro e o mesmo é recebido pelo quadro. Vai formando seus traços de expressão, vai formando o seu coração (ou até o destruindo).
Chega uma hora que você olha o reflexo contrário ao espelho e não entende mais o que aconteceu... Por que o seu corpo permaneceu...
Vamos fazer de conta que eu me importo, que isto significa algo para mim, que eu acredito no amor – é só faz de conta ok? -, o Dia dos Namorados seria sim o ‘algo mais’, porem eu não saberia manter um relacionamento em que tivesse que esperar pelo dia 12 de junho pra me sentir amada. Confesso que meu sonho é receber flores. É. Não um sonho, sonho. É um sonho. Assim, rosas vermelhas. Um buquê bonito e digno de minha pessoa e queria receber na verdade uma rosa por dia, todo dia. É. Ter surpresas lá de vez em quando, escutar TE AMO nos momentos mais inusitados, ser beijada nos momentos errados, querer pegar na mão pra ver TV. Se eu acreditasse em amor, acho que não seria nem um pouco egoísta ou estranha. Talvez. Não consigo me imaginar num conto de fadas, qual é.
Sou realmente exigente – e difícil. Mercenária também -, não quero alguém que me complete. Quero alguém que me complemente. Que goste de fazer coisas bobas, que recite Camões e que diga que minhas pantufas do Pooh são um charme. Quero dar um beijo estilo ‘homem-aranha’. Quero entrar naquelas maquininhas de fotos instantâneas, em que você pode fazer careta e fotos alegres e apaixonadas. Guardar as tirinhas e ir dividir um algodão doce. Quero não ter uma trilha sonora, mas abraçá-lo e ligar o rádio. E a musica que estiver tocando naquele momento se torne nossa. Assim como tudo. Como o mundo. Mas, se eu acreditasse claro. Até porque não existe ninguém perfeito, até que você se apaixone por ele.
Provavelmente eu esteja vivendo no piloto automático, embora acredite que isso só seja praga de madrinha. E que estou longe de ser antagonista de um final feliz. Estou na espera de algo inédito.
Ninguém pode ser exatamente como eu. Algumas vezes eu mesmo tenho problemas sendo assim. Padeço só na agonia de me despedir, pra saber que só assim sou capaz de compreender a profundidade do meu amor.
O meu partido é o coração partido. E o que te faz pensar que eu me importo?
Embora, dando uma olhada rápida por mim mesma chego à conclusão de que de fato devo ser um pouco mais terna do que outras meninas da minha idade. Tudo é colorido, delicado e tem um toque divertido em meu modo de encarar a lua. E não vejo perspectiva de que isso mude com o passar dos anos. As pessoas mudam, crescem, erram, aprendem e acertam, mas acredito que a nossa essência está imune a qualquer amadurecimento.

Há momentos na vida em que se deveria calar... E deixar que o silêncio falasse ao coração; Pois há sentimentos que a linguagem não expressa... E há emoções que as palavras não sabem traduzir. E nem tem tal necessidade.
Enquanto a internet não disponibiliza uma versão melhor, eu fico com esse meu coração de sempre, que já não acredita em romances “express”, nem se contenta com amostras grátis de amor. Eu não vou amar até o dia que me for apresentado o amor de verdade. Não vou ser capaz de fingir até lá. Continuarei com toda essa insanidade misantropa, meus gestos delicados e minha frieza graciosa. Se por acaso resolver me mandar flores, não esqueça dos chocolates com avelã. E que fique aqui meu manifesto e revolta, pois se pudesse reinventar o mundo, nele existira sim, o amor.
Nesse momento há 6 bilhões, 470 milhões, 818 mil, 671 pessoas no mundo.
Algumas estão ganhando flores, outras dando; algumas estão amando, outras se doando; algumas estão sorrindo, outras chorando; algumas estão perto estando longe, outras estão longe estando perto; algumas estão nascendo, outras morrendo; algumas estão ouvindo eu te amo, outras estão perguntando se são amadas; algumas estão com o coração partido, outras com o coração aos pulos; algumas estão em jantares românticos às luzes de velas, outras dividindo uma pizza calabresa; algumas estão fazendo amor, outras só se olhando; algumas estão dançando Julio Iglesias, outras cantando Cazuza – ‘Exagerado’; algumas estão lembrando; outras vivendo; algumas estão lendo esse texto, outras escrevendo cartas de amor; algumas são como eu, outras tentando não ser. Seis bilhões de pessoas no mundo, seis bilhões de almas...
E às vezes tudo que nós precisamos é apenas uma!

Nota da autora: 
- Quando eu postei já era passado da meia-noite,
entao FELIZ DIA DOS NAMORADOS!
Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;
É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;
 
É querer estar preso por vontade;
Éservir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.
Mas como causar pode seu favor;
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?
                        Luís de Camões


10 comentários :

Will disse...

Meu numa boa, muito foda seu texto!!!! Expressivo, sentimental, realista, verdadeiro.
Você soube quase-resumir o que não se pode: essa coisa chamada sentimento. Não necessariamente amor, paixão, atração....

Sentimento!!!


Parabêns e conforme suas verdades, feliz dia dos namorados. Eu me contento com um feliz dia 12, 13, 14......e desejo pra vc.


Valeu pela visita, um comentário vindo de uma pessoa que escreve tão bem é sempre uma motivação.


Bjos

disse...

Olá, moça, obrigada pelas visitas gentis no Fragmentos e no Um a Um. Vc sabe articular bem as idéias e tem poder argumentativo. E isso é ótimo.

Bjs pra vc.

Will disse...

Então...vou te add na minha lista de preferidos heim!!!

Não poderia ser diferente né?

Bjos

Cabraforte disse...

REtribuindo a Visita!!


Muito bom!!

Gosot de Camões tbm!


bj

Prazer

Sonebald disse...

Você é o lado sacana de qualquer um.

' arcano disse...

Eu sacana??? :O
Que calúnia!

Sonebald disse...

Entenda no bom sentido, madame!

Carlinha Said disse...

Acho que não tenho o que comentar num texto tão completo. parabéns pelo seu post, colocaste de uma forma objetiva e singela o que sentes e o que queres. A clareza dos teus pensamentos é excepcional.
Mas o amor é isso e dia dos namorados são todos os dias...
Somos alvos do comércio, somente isso

Beijo grande

Mariana Moro disse...

Lindo texto! Dia dos namorados...apenas mais um dia inventado pela sociedade consumista!

Desde quando é preciso dia pra amar?

;*

' arcano disse...

Exatamente!
Ja pensou se tivesse o dia do filho-da-puta ou do amigo fura olho?

Toda essa hipocresia me causa nauseas!