05 dezembro, 2008

Atrás da porta

Não consigo dormir, então espero o vento cruzar minha janela
Fico de pé, mas não encosto no chão
Vou até a porta, lutando contra meus passos
Tento ouvir algum barulho, fico ali mortificada
Imagino você do outro lado
Lembro-me de tudo o que planejei não te dizer,
Embora tenha dito tudo o que você não quisesse ouvir
Agora só me resta ir embora e trancar a porta.

Escolhas e sobras, eu tenho medo da minha voz
Bem, prefiro fingi a sentir.
É muito mais fácil correr quando voce não carrega um coração
Não preciso de dias lindos, o sol sempre nasce e a lua nunca morre
Diga-me, e quanto a nós?
Nascemos para morrer. É só

Nada ficou no lugar
Eu vou enganar o Diabo
Vou invadir sua alma e violentar o seu rosto
É pra ver se você volta, pra ver se você olha pra mim
Eu vo te entregar suas palavras
E fazer de conta que elas so pertenceram a mim
Eu vou derramar o resto da minha alegria

Não tenho desculpas convincentes,
Aceite minhas mentiras sinceras
Alguém...
Vou te amar até o fim
De algum jeito vou escolher o errado
Temos você, temos a mim
Não temos o tempo.

É difícil encarar as outras pessoas
Enquanto tento fugir de um espelho,
Porque sei, que me verei com seus olhos
E meu amor,
Terei mais certeza que de todas essas pessoas
Que de todas essas ruas
Que de todas essas dúvidas
Voce ainda estará atrás daquela porta,
E mesmo não tendo saída
É voce e eu contra tudo
Contra o mundo
E eu não vou conseguir tirar meus olhos de você,
Nem por um segundo.

Estarei te esperando até o amanhecer
Depois do entardecer,
Do outro lado,
E de lá nunca sairei, ainda é você
Te amarei até o fim.
Depois de morrer.

8 comentários :

Leonardo Werneck disse...

Eu fiquei aqui lendo e relendo teu texto, pra comentar alguma coisa a mais do que "lindo texto", no entanto, esse texto mexeu demais comigo e eu não sei dizer nada além disso. Talvez seja pq eu tbm ame alguém assim, dessa forma que vc ama, até após a morte.

beijo

Ghost of a good thing disse...

Nossa, hoje que fui ler teu comentário.
Eu sou brilhante? Ah, obrigada.
Tu também é, realmente.

Amplexos.

Felipe Moraes disse...

Obrigado pela visita e comentário no Imprevisível.

E belo texto o seu, de uma sinceridade rara.

=D
Felipe Moraes

CelyLua - O blog das Letras disse...

Texto belíssimo...palavras que desperta a alma que grita no silencio o verdadeiro amor.
Realmente o amor é tudo isso que você permitiu através da tua preciosa inspiração deixar desabrochar esta linda declaração desse eterno amor.
Seu blog é fantástico...voltarei mais vezes para ler você.
Parabéns e aplauso!
Deus te abençoe.
Bjs.
Sua fã literária,

Cely Cavalcanti.

G. disse...

"É muito mais fácil correr quando voce não carrega um coração". Uau, não sei porque, mas essa foi a frase - de muitas nesse seu texto - que mais mexeu comigo. Eu quero amor assim, que nem esse do seu post. Obrigada por escrevê-lo, por ter dado essa oportunidade de que eu o lesse.
Beijos e desculpa a demora em voltar aqui.

Rubem Rocha disse...

Só pra te lembrar que ainda te leio :D
e gosto

alvarêz drewïzqe disse...

versos carregados de sentimentos diversos, de primeira

Jjor disse...

Esperar... é só o que resta quando se gosta demais, de verdade, e não se vê a porta aberta.